Ultra Mini Percutânea – Uma Nova Abordagem ao Tratamento dos Cálculos Renais

 

A Nefrolitrotipsia percutânea é um método já bem estabelecido para o tratamento dos cálculos renais maiores que 2 cm, sendo o sangramento a maior morbidade deste procedimento. Vários trabalhos, incluindo-se o de Kureja, em 2004, demonstraram que a miniaturalização do trajeto percutâneo poderia traduzir-se em menores taxas de sangramento. Da mesma forma Helal, em 1997 publicou que a mini percutânea, utilizando dilatações de 16 a 20 Fr, diminuía consideravelmente os riscos de sangramento durante a criação do trajeto.

A Ultra Mini Percutânea (UMP), deriva do conceito de “All Seeing Needle”, apresentada em 2010 durante o congresso da Associação Americana de Urologia em São Francisco. Este método permite a visibilização do trajeto percutânea durante o acesso, incluindo a inspecção visual do cálice desejado, e a confirmação da presença do cálculo, antes que uma maior dilatação seja realizada.

A técnica cirúrgica é muito similar ao procedimento usual da cirurgia renal percutânea, sendo a maior a diferença, o diâmetro do trajeto, que requer apenas uma incisão cutânea de aproximadamente 4mm de extensão. Com um dilatador e um fio guia, o trajeto é dilatado até 11 ou 13 Fr, utilizando o obturador e a bainha. Uma vez no cálice, o obturador é removido, e a bainha interna e o Ultramini Nefroscópio são inseridos. A fragmentação dos cálculos é realizada com fibra de Ho-Yag Laser Convencional, e a retirada de fragmentos é feita por método de turbilhonamento pela própria bainha de acesso. Após o procedimento e a remoção dos instrumentos, resta apenas uma incisão de 4mm, que não necessita de nefrostomia, fazendo deste um procedimento “Total Tubeless” caso haja remoção completa dos fragmentos.